domingo, 24 de janeiro de 2016

OS PRIMEIROS 45 | SHADOWHUNTERS


Duração de cada episódio: 42-44min
Gênero:
Produzida/exibida por: Freeform (antiga ABC Family), Netflix
N° de episódios: 2 (de 13)
Temporadas: 1 (em andamento)
Ano: 2016
     


Posso começar dizendo que sou um pouco suspeita para comentar sobre qualquer coisa que tenha a ver com o universo das sombras criado por Cassandra Clare. Simplesmente sou apaixonada por Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais, assim como tenho plena certeza de que serei apaixonada por qualquer outra série de livros que compartilha do mundo das sombras (ou que a Cassie escreva, de uma forma bem geral). Adoro a Cassandra, adoro a forma como ela escreve, como cria personagens, sentimentos, personalidades, cenas (tanto as românticas, quanto as tensas ou de luta) entre vários outros. Em outras palavras, sou fã dessa mulher maravilhosa e, sobretudo, da sua cria mais famosa até então.

Todos sabemos, no entanto, que apesar dos livros serem incríveis, a adaptação cinematográfica foi péssima. Eu acompanhei toda a trajetória até Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos e, sinceramente, havia gostado do filme, embora (tempos depois, quando eu cresci mais e comecei a me interessar por toda essa coisa de cinema e etc) tivesse notado os erros que levaram à péssima aceitação dos críticos de modo geral. Acho que quando algo assim acontece com uma série de livros que você admira tanto é impossível não gostar, seja ela uma péssima adaptação ou não.

Shadowhunters 1x01

Depois que anunciaram que o segundo filme, Cidade das Cinzas, não ia ser produzido obviamente fiquei triste e pensei em me contentar somente com a história, a qual eu ainda não tinha terminado de ler nessa época (e que não demorei muito para terminar, na verdade). Eis então, que surge uma nova chama de esperança: uma série de TV sobre os livros!

Claramente fiquei bem feliz e desde então venho acompanhando tudo que se é possível desde que essa notícia foi anunciada: os diretores, os produtores, os rascunhos de roteiros (pelo menos as poucas partes que conseguimos ter acesso, graças ao Idris BR) e, é claro, a parte considerada mais importante: a escolha do cast.

Inicialmente, eu gostei de todos, embora não tivesse visto nenhum trabalho de qualquer um dos escolhidos no elenco (exceto Alan Van Sprang e, muito depois, Matt Daddario). As aparências eram bem compatíveis com as dos personagens, mesmo os que não foram descritos com tantos detalhes nos livros, e desde o começo eu aprovei todos, embora achasse o cast do filme exclusivamente perfeito. (Adoro o Dominic, acho que ele tem a cara do Jace, mas ninguém nunca será tão Jace como Jamie Campbell Bower).

Todos os preparativos da série me deixaram cada vez mais ansiosa para que dia 12 (melhor dizendo, 13, porque eu assisti no Netflix) chegasse logo, embora muita coisa que eu via teimava em me dizer que talvez a série não ficasse tão legal assim. Quando o dia finalmente chegou, eu mal pude acreditar. Vamos ao que eu achei, então.


De modo geral, o primeiro capítulo foi satisfatório (eu sinceramente, esperava coisa bem pior), mas na minha visão só foi assim para quem já conhecia os livros. Para quem não conhecia a história, tudo foi bastante confuso e rápido demais. Num segundo Clary é uma humana normal, num mundo normal e no outro está sendo enviada a força por um portal feito pela sua vizinha que era bruxa e sua mãe está lhe dizendo adeus entre outras coisas completamente estranhas sobre ter poderes ou algo do parecido. Tipo, o que? Foi rápido demais, confuso demais e com certeza bem diferente da cena referente à essa no livro. (Sobre essa diferença de cenas e acontecimentos, eu vou comentar melhor mais para frente, aguenta aí).

O segundo episódio é um pouco mais lento, dando tempo do expectador assimilar melhor as coisas, embora ainda seja levemente confuso. Não sei se os produtores/diretor tentaram/tentou deixar as coisas embaralhadas no começo para chamar a atenção e a curiosidade do povo, mas lendo as críticas feitas pelos espectadores no Metacritic e do IMBD, essa tática não funcionou. (Ler aquelas críticas foi meio que um chute na minha cara, que achava que as pessoas iam gostar para caramba, principalmente depois de ter visto os números de audiência na Freeform no dia do lançamento e também a nota dada pelos expectadores no Netflix (que já alcançava pouco mais de quatro estrelinhas, das cinco que tem lá.) Isso, no caso, só me provou que o fandom é grande e acolhedor).

OBS: Vale sempre lembrar que todas as críticas que eu vi eram das pessoas, ou seja, ninguém ali é profissional e geralmente falam as coisas de boca para fora, além também de a série estar no começo e, de que na maioria das vezes, os começos são sempre péssimos. Ainda sim, foi um belo chute na minha cara.

Shadowhunters 1x01

Enfim, a maioria das reclamações que eu vi (posteriormente também pesquisei opiniões de pessoas que sabem mais sobre o mundo das séries e adaptações, críticos de verdade, por assim dizer) foram dos atores e suas atuações "medíocres", como citado por alguns. Embora eu não seja tão radical nesse ponto, não posso dizer que foram atuações maravilhosas.

Tudo bem, Matt Daddario, Emeraude Toubia, Alberto Rosende, Isaiah Mustafa e Alan Van Sprang até que foram bem. Quanto à Harry Shum e Maxim Roy, não temos como avaliá-los tão bem quando tiveram tão poucas cenas ainda. De certo, não duvido de que os dois estarão à mesma altura dos outros, no entanto eu tive uma decepção cortante e desanimadora com a Kat McNamara e o Dominic Sherwood (pelo amor de Raziel, eles são os PRINCIPAIS!). Com certo pesar, Dominc até passa, mas a Kat. Deus é Pai, alguém ajuda essa menina.

Não pensem que eu não gostei dela. Kat é uma pessoa maravilhosa, sempre amigável e fofa com o fandom, sempre tão animada com tudo quanto nós. Além disso, ela tem muito a cara da Clary, não só o cabelo, mas aparência em si. Quando foi escalado o elenco, inclusive, fiquei muito feliz de ver que realmente levaram em consideração a aparência da Clary dos livros. Obviamente não a conheço (AVÁ), no entanto posso alegar cegamente que ela é um anjo em forma de mulher, mas com todo o respeito, ela precisa melhorar muito na atuação.

Tenho a esperança isso vai acontecer, porque sabemos que esse é o maior trabalho dela até então, o que significa que ela ainda vai aprender muito, principalmente porque temos atores mais famosos e preparados no elenco, assim como os profissionais de casting que vão auxiliá-la. Não só ela vai aprender, como todos os outros que, como podemos perceber, também são novos atores, com poucos trabalhos no currículo. Nos resta torcer para que isso realmente aconteça e o quanto antes, porque mesmo sendo um fandom grande, é difícil sustentar os números para que a segunda temporada seja confirmada se as coisas continuarem assim.

Shadowhunters 1x02

Eu gostei dos cenários e, embora grande parte dos efeitos tenha deixado a desejar, essa é mais uma coisa que sabemos que provavelmente se ajeitará aos poucos. Como eu disse anteriormente, começos de séries são geralmente bem ruins, mas isso não significa que não se tornarão grandes sucessos posteriormente. (Sério, se Teen Wolf, com aqueles efeitos incrivelmente ma-ra-vi-lho-sos da primeira temporada foi renovada para a segunda, melhorou e está tendo temporada nova e público até hoje, Shadowhunters também pode ter. Tenhamos fé!)

O que me deixou bem WTF foi um fato aparentemente simples e completamente destruidor de almas dos fãs de TMI, sobretudo de tudo que sabemos sobre o Valetim até o seu triste fim: O QUE DIABOS ESSE HOMEM DOS INFERNOS ESTÁ FAZENDO EM CHERNOBYL, MEU RAZIEL? Eu quero matar quem teve essa ideia e esquartejar quem colocou aquela foto muito merda escrito 'Chernobyl' na frente toda vez que vão fazer alguma cena no covil maligno do senhor Morgerstern. Puta merda, é tão difícil colocar ele num lugar mais fácil e fazer uma filmagem melhor? Melhor ainda, quer colocar ele em Chernobyl? Coloca, mas não precisa daquela imagem, Cristo, é só colocar o escrito quando passar para as suas cenas. Simples e muito mais profissional. Aliás, eu sinceramente vou querer explicações plausíveis para ele estar em Chernobyl, porque não faz sentido nenhum até agora, não teve nada disso nos livros, não teve nada disso em nada. Obrigada, Freeform, de nada. 

Aproveitando que estamos falando de coisas que estão acontecendo na série que não tem nada a ver com os livrps, peço por favor para os fãs que estão reclamando de cenas supérfluas que fechem a boca e parem com o mimimi. Não vai ser igual nos livros, ou você aceita ou para de ver a série, até mais. Eu não sou a dona da razão nem nada parecido, mas isso já está bem na cara desde que anunciaram a adaptação para série de TV, então se desapeguem um pouco e se permitam ver a história que vocês já conhecem com novos olhos, com uma nova perspectiva.

Shadowhunters 1x02

Nossa Lauren, mas você não estava até agora pouco falando mal sobre o Valentim estar em Chernobyl e querendo matar todo mundo? Sim, mas é diferente, porque eu não sei o que vão fazer com isso. Essa é uma coisa que, de alguma forma, poderia alterar algo no núcleo da história se tiverem inventado demais. Se, no caso, for simplesmente um lugar que eles escolheram para que a gente soubesse onde é que ele fica até tudo se desenrolar e acontecer, de forma propriamente dita, não há problema. Eu fiquei puta mesmo com aquela imagem ridícula antes da cena dele começar, mas enfim. Contanto que não atrapalhem a essência da série, vai ficar tudo bem. É isso que não queremos que aconteça. A forma como eles descobrem certas coisas, como acontecem certas cenas, como são ditas certas falas ou, até mesmo em alguns casos, a ordem dos fatos ou o acréscimo de cenas e situações não vão afetar em nada, ou muito pelo contrário, vão enriquecer ainda mais a história que já conhecemos.

Lembrem-se que são duas mídias completamente diferentes. Coisas que não nos confundem quando lemos, nos confundem quando assistimos e vice versa; coisas que podem parecer um enriquecimento da história nos livros, na série vai parecer enrolação, entre outras diversas coisas que fazem essas mudanças acontecerem sempre.

De modo geral, eu acredito que a série vai encontrar seu rumo mais cedo ou mais tarde, satisfazendo quem já é fã e tornando novas pessoas fãs desse universo incrível. Paciência é tudo, portanto, continuemos dando suporte e amor ao elenco e à série. Temos algo de grande potencial aqui, é uma série completamente original, extremamente diferente das séries atuais e até mesmo de séries mais antigas, já terminadas, o que é um grande ponto positivo.

E para terminar, vocês que estão comparando Supernatural com Shadowhunters: parem, sério. Tá bem micão. Supernatural é incrível, com certeza, uma grande série, com um ótimo elenco e sim, uma história bem original apesar do descontentamento de alguns fãs com algumas temporadas, mas é absolutamente e completamente diferente de Shadowhunters. Nem mesmo o fato de os dois caçarem demônios tem um pingo sequer de coisas parecidas um com o outro, então parem. Tá bem ridícula essa briguinha sem fundamento.


2 comentários:

  1. Olá! Confesso que ainda estou um pouco com o piloto. Sei que por ser um piloto ainda a série tem poucos recursos, mas eu espera mais. As atuações do Jace e da Clary não me convenceram, o Jace mesmo, está muito meloso =/ A personalidade do Jamie estava muito mais fiel, pecando apenas no físico.

    Bom vou continuar vendo, mas até agora curti mais os personagens secundários do que os protagonistas!

    Beijos Joi Cardoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O piloto foi bem desanimador mesmo... Quanto ao Dominic, gosto muito dele e acho ele bem parecido com o Jace fisicamente, mas como você disse, a personalidade do Jace no filme estava bem mais fiel, assim como o próprio ator do filme (Jamie Campbell) ser BEM mais parecido. Sério, para mim ele sempre será o Jace perfeito em todos os quesitos...

      Bem, eu também curti mais os secundários... meus favoritos são o Alec e o Magnus, então estou bastante ansiosa para mais cenas dos dois!

      Obrigada pela visita, Joi ♥

      Excluir

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo