sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Filme - REVIEW #27 | The DUFF


Nome original: The D.U.F.F.
Duração: 101min
Ano: 2015
Gênero: Romance, Drama, Comédia, Adolescente
     


O mercado de filmes adolescentes nesse estilo está bem cheio, como sabemos, mas parece que sempre há lugar para mais um, até porque há uma parcela que nunca se cansa de filmes assim.

Seguindo a linha de outros tantos filmes teen, The DUFF conta a história de Bianca, uma adolescente em seu último ano escolar que possui como melhores amigas Jess e Casey, consideradas pelos estudantes extremamente atraentes.

Bianca tem um estilo próprio e nunca se envergonhou disso. Acostumada em ser a diferente entre suas amigas, Bianca não liga para o que os outros dizem até tomar conhecimento do que é uma DUFF e, principalmente, de que ela é a DUFF no seu grupo de amizades.


Wesley, vizinho e ex-melhor amigo de infância de Bianca que acaba lhe contando isso. DUFF (Designated Ugly Fat Friend) é uma gíria americana usada para chamar a amiga mais feia e acessível do grupo, aquela que os garotos geralmente falam antes para poder chegar/ter um encontro com uma das amigas bonitas da DUFF. Claro que a DUFF não é necessariamente uma garota, pode ser um garoto também, o fato principal é que, todo grupo de amigos tem um/uma DUFF, seja dos góticos, dos nerds, dos hippies, dos bagunceiros e até mesmo dos populares, etc. Aqui já podemos ver, mais uma vez, como é forte essa separação de adolescentes em grupos, rotulados por seu estilo ou qualquer outra coisa relevante, e isso já é uma abordagem interessante do filme. Porque temos que ser separados assim, afinal?

Bianca fica muito chateada ao descobrir que era a DUFF, já que em sua visão, todos sabiam disso (até mesmo suas melhores amigas) menos a própria, e ela considera isso uma traição da parte de Jess e Casey, cortando relações com as duas.

Ela não quer ser vista como DUFF e almeja conquistar o seu crush, Toby Tucker, por quem tem uma queda a um bom tempo. Para isso, ela pede a ajuda de Wesley, que é capitão do time, popular e, consequentemente, sabe como deixar uma pessoa mais legal e, bem, menos DUFF.

Wesley hesita no início, mas como está prestes a ser tirado do time por conta de sua baixa média em química, ele aceita a proposta de Bianca em ajudá-la para que ela também o ajude a passar na matéria. A partir daí, já da para imaginar o que vai acontecer.

Tudo começa bem, tudo começa bonito até que a vilã da história e ex namorada de Wes, Madison, decide aprontar para Bianca, achando que a mesma está tentando "roubar" Wes e é nesse ponto que o filme abordou um tema um tanto quanto novo: o cyberbullying.


Em todos os filmes no mesmo estilo acontecem basicamente a mesma coisa e a principal vai ser zoada pela escola inteira em algum ponto, certo? Mas, de certa forma, eu achei a forma como fizeram isso em The DUFF parecer bem mais real e até mesmo novo. Não vou contar o que a Madison aprontou porque seria spoiler, mas o problema do cyberbullying é real e muito presente na vida dos adolescentes hoje em dia. Achei muito legal terem a abordado esse tema da forma que fizeram, com a intensidade parecida e ainda mostrando a superação de Bianca quanto à esse problema que parecia impossível de solucionar no início.

O resto do filme, mais uma vez, não é difícil de se deduzir. Desde o começo já temos uma ideia de que a relação entre Bianca e Wes daria algo a mais, e realmente dá. É muito fofo a forma como o capitão do time se dá conta de que, de todas as garotas lindas que estão ao seus pés, ele se apaixonou pela nerd solitária da escola, e até como a Bianca percebeu que também estava apaixonada pelo grande idiota, como ela chamava, que Wes era.


Não podemos negar que o filme inteiro é bem clichê. Na verdade, creio que o filme se apoiou numa trama clichê para trazer à tona coisas mais importantes, como a aceitação própria e como os rótulos da sociedade são apenas rótulos inúteis, afinal todos somos diferentes e impossíveis de serem rotulados como isso ou aquilo.

Por: Lauren

2 comentários:

  1. Oi, Lauren. A premissa desse filme, como você citou, é bastante clichê e lembra outros enredos. No entanto, me deixou curiosa o fato de abordar o cyberbullying, que hoje em dia é muito frequente. Vou colocar na minha listinha "Quero assistir", mesmo sendo um filme mais adolescente.
    Marquei você em uma tag lá no meu blog :*
    Um big beijo
    http://www.moleca20.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula!
      Eu fiquei até surpresa com esse filme por ter abordado bem o assunto do cyberbullying. Espero que goste do filme!
      Ah, adorei seu blog! Pode deixar que vou responder a tag :) Muito obrigada por lembrar do RL!

      Beijos!

      Excluir

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo