sábado, 2 de janeiro de 2016

ESPECIAL | Promessas de fim de ano: o que nos impede?



Todo final de ano, naquela contagem regressiva até a 00h00 fazemos promessas. Muitos fazem as mesmas que todos os outros: emagrecer, economizar para ter mais dinheiro, encontrar um amor e etc.; outros prometem ter mais paciência, cuidar mais dos outros, e etc., mas poucas dessas promessas se realizam.

Eu fico me perguntando o que acontece com as pessoas, inclusive comigo, que não conseguimos cumpri-las. Quero dizer, não é fácil, mas é só... fazer, entendem? Se esforçar e alcançar. O que nos impede? O que nos faz desistir no meio do caminho?

Nesse ano, diferentemente de todos os outros, eu quero cumprir minhas promessas, que embora sejam tão diferentes das que todos fazem, serão importantes para mim e para meu amadurecimento pessoal. Quero, no final de 2016, estar satisfeita com meu ano e ter em minha mente o quanto eu mudei para melhor no ano que se passou; quero ter a sensação de que mudei alguma coisa e que essa mudança foi para melhor. E eu quero que vocês tentem fazer isso comigo, como uma promessa coletiva.

Anotem o que vocês querem para esse ano, coloquem metas e vamos cumprir cada uma dessas coisas. Eu não preciso ver o que você quer e nem preciso que você veja o que eu quero, só quero sentir o fato de saber que eu estou em busca do que eu quero, e não estou sozinha. Se desafie a cumprir o que você deseja, independente do que seja. Afinal, o que nos impede de cumpri-las?

Eu tenho vontade de ver as pessoas felizes e acredito que isso fará mais pessoas felizes, se cada uma se comprometer a cumprir esse combinado silencioso que estou propondo.

É tão simples e tão complicado, não é? Eu também sinto isso. Sinto medo de falhar, sinto medo de que toda essa animação que estou sentindo ao escrever isso se desmantele ao longo do ano e ao final eu não vou ter cumprido nada, não vou estar feliz, não vou estar satisfeita, apenas triste. Mas, apesar da possibilidade de que isso aconteça, eu realmente não quero pensar nisso agora. Quero pensar que cada erro vem com um aprendizado, que desistir de algumas coisas por outras não é fracassar e que independente de tudo, eu vou sempre continuar caminhando rumo ao meu objetivo, porque eu não estou sozinha. Deus está comigo, minha família e amigos também. Aliás, com esses elementos comigo, nada pode me impedir. E nem a você.

Por: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo