quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Livro - Resenha #45 | OS ADORÁVEIS, Sarra Manning (NOVO CONCEITO)



Nome original: Adorkable
Autora: Sarra Manning
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Ano: 2013
     

Publicado em 2013 pela editora NOVO CONCEITO, Os Adoráveis (ou Adorkable, em inglês) conta a história da blogueira Jeane Smith. Jeane possui um blog muito famoso chamado Adorkable, onde ela expõe suas opiniões e seu jeito completamente diferente de ser. O blog possui seus seguidores - igualmente fora dos padrões - os quais ela chama de Dorks, e qualquer pessoa que não seja Dork é um Dark, que para ela é a definição de pessoas normais cujo quais não têm bom gosto e opinião própria.

Michael Lee é uma das pessoas que Jeane mais considera Dark. O garoto vai bem nos estudos, veste roupas da moda, é presidente do grupo estudantil e também do time de futebol, e claro, é querido por todas as garotas da escola. Quando Jeane e Michael começam a desconfiar que Barney e Scarlett, seus respectivos namorado e namorada, estão começando a se gostar para valer, eles acabam causando uma pequena confusão.

Ao final de tudo, Scar e Barney terminam com eles e começam um namoro, mas tudo ainda está bem complicado com Jeane e Michael e fica ainda mais quando os dois acabam se beijando por acidente e daí por diante não conseguem mais ficar longe um do outro, embora eles não entendam o porquê, já que na teoria eles não se suportam, certo? Bem, parece que tanto Jeane quanto Michael acabam descobrindo um novo lado nos dois e em si mesmos.

Eu tenho mania de entrar em qualquer estabelecimento que venda livros e comprar justamente o título que eu menos ouvi falar na vida, simplesmente para ver se vou fazer uma descoberta brilhante. Com Os Adoráveis isso definitivamente não aconteceu, mas de qualquer forma acho que vou continuar tentando.

Já tinha ouvido falar sobre Sarra Manning, mas nunca tive a oportunidade de ler algo dela antes de Os Adoráveis. Uns falam bem da autora, outros falam mal, mas eu a achei boa. Sarra tem uma forma bastante fluída de escrever e, acho que devido ao tema do livro, bem jovial também. Ela se usa de várias gírias que realmente usamos no nosso dia a dia, por exemplo o famoso "tipo" usado para explicar melhor as coisas umas cinco vezes na frase. Acho que isso ajuda o leitor a se familiarizar e se identificar mais com a história, sobretudo se este for adolescente.


Quanto à história, não tem nada demais. Jeane é maluca e completamente (completamente MESMO) fora dos padrões de beleza, moda e gostos em geral impostos pela nossa sociedade. Ela é bem exagerada e em algumas passagens do livro ela me deixou bem irritada. Eu já tinha sacado a oposição que ela fazia às próprias ideias no meio do livro, mas como ninguém mais na história parecia perceber isso (como se nem a autora tivesse dado conta do que estava fazendo), minha irritação duplicou. Felizmente, no final do livro, Jeane se dá conta dos seus erros e tudo o que parecia estar esquecido na verdade não estava.

Eu gostei da forma como o romance da Jeane e do Michael se desenrola. É muito real e gradativo. Isso dá uma profundidade enorme e nos faz nos identificarmos bastante com os dois personagens, mesmo em suas brigas constantes e até engraçadas vez ou outra.

Eu gostei da personagem principal por conta da sua forma diferente e independente de pensar, apesar da irritação que eu citei acima. Jeane é notada por pessoas importantes, têm de ir à conferências com empresas, debates, discursos, sai em jornais e revistas famosas e nunca deixa de falar em prol dos adolescentes, dos menos notados pela sociedade ou de ideais menos aceitos, porque são coisas que ela acredita e saber que ela é ouvida por essas pessoas faz com que ela tenha um poder muito importante em mãos, como se fosse nossa representante no mundo dos adultos que não se importam com o que precisamos ou com o que somos.


Nem todos nós queremos estar em conformidade com as definições estreitas do que significa ser uma garota ou um garoto ou um adolescente ou um gay ou um hétero. [...] Adorkable dá a voz a quem está sentado em seu quarto, ou pelos cantos, ou que está tentando arduamente apenas se ajustar. Mas, adivinhem? Vocês não têm que se ajustar. Vocês não precisam ser ninguém além de quem vocês realmente querem ser. Algumas vezes, nós nos esquecemos de que não há nenhuma lei que diz que é preciso ser o que os outros esperam que venhamos a ser. PAG.380

A história em si do livro é muito simples e o aprendizado que, tanto Jeane quanto Michael, e diversos outros personagens que aparecem menos, levam é muito bonito e importante também. Mesmo nós podemos tirar uma boa lição da história inteira.

Eu achei Os Adoráveis, um livro divertido. Algumas partes são bem tristes, a partir do momento que começamos a conhecer mais Jeane e sua história por trás da grande blogueira que ela é, mas na maior parte do livro ele é bem leve e até engraçado.

A diagramação é normal e até seria bem bonita, se não fosse a capa horrível. Entendo que era para ser uma capa mais fora do normal, jovial e até meio ridícula, para representar a imagem do mundo Adorkable mesmo, mas eu odiei mesmo.

Enfim, é isso! Até a próxima!

RESENHA POR: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo