quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Livro - Resenha #35 - BiaGrafia, Pedro Varella (AUTOGRAFIA)


Nome original: BiaGrafia: Uma História de Superação e Seu Final Feliz
Autor: Pedro Varella
Editora: Autografia
Páginas: 256
Ano: 2015
   


Olá, leitores! Antes de começar a resenha, eu gostaria de agradecer ao autor Pedro Varella por ter nos contatado, nos apresentado e nos enviado esse livro lindo com sua história emocionante. Desejamos tudo de melhor para você e sua família!

Bom, BiaGrafia conta a história de vida de Angela Beatriz Varella, a mãe do autor, que foi diagnosticada precocemente com câncer no pulmão em 2005 e lutou contra tal por quase dez anos.

O autor começa contando brevemente sobre a adolescência da protagonista e também sobre a escolha da sua carreira pela mesma. Desde o começo, temos a ideia de uma mulher muito animada e feliz, em todos os sentidos, o que nos estimula a gostar da mesma em questão de poucas páginas.

Por se tratar de uma biografia, o livro é bem detalhado e por esse motivo alguns podem achá-lo repetitivo, mesmo porque Bia teve várias reviravoltas emocionantes - e sempre com um propósito - na sua vida. Eu tive essa impressão, mas esse fato não me incomodou muito. Era até legal ler cada um desses detalhes e conhecer mais afundo a vida da personagem principal e de outros que estavam a sua volta e contribuíram para cada novo degrau que ela subia.


A narrativa do autor é bem simples e eu não senti como se estivesse lendo, mas ouvindo do próprio autor a história de vida e luta da mãe. Era como uma conversa, mas eu não falava (só chorava, em alguns trechos). Foi diferente, e talvez não sejam todos a sentir isso na leitura, mas aconteceu comigo e foi uma experiência bem legal. Ele teve paciência em explicar as coisas e narrar cada pedacinho. É possível sentir o carinho que ele colocou em cada palavra ao redigir cada um dos acontecimentos, até mesmo os que ele não sabia tão profundamente, tendo ajuda de alguns familiares, como ele mesmo fala, para escrever certas partes. Devo parabenizá-lo por isso, porque são poucos os autores hoje em dia que passam um sentimento tão profundo para as palavras, trazendo-o de forma tão perceptível para o leitor.

Apesar de se tratar de um livro que conta a história de uma vítima do câncer, na maior parte do tempo, não é triste. Bia, e seus amigos e familiares, tentaram, mesmo nos momentos difíceis, nunca parar de sorrir, brincar e fazer coisas que os divertiam; a própria Bia nunca tratou a doença como o fim do Mundo e, ao contrário do que outras pessoas às vezes fazem, ela buscou no diagnóstico um motivo para fazer as coisas que queria fazer, um impulso para continuar vivendo da melhor forma possível e para agradecer por cada coisa que havia conseguido. Ela era uma verdadeira guerreira!

Como vocês, que visitam o blog sempre, sabem, eu sou uma manteiga derretida de marca maior, então desde que recebi o e-mail do Pedro já sabia que ia chorar em algum momento (lê-se vários) da trama, o que de fato aconteceu. Eu quase me senti uma personagem não citada na história de tanto que me identifiquei com a personagem principal, seus amigos e sua família. É incrível como não precisamos conhecer as pessoas para desenvolver afinidade por elas.



Eu não costumo ler biografias, não é nem de longe meu gênero favorito, então a leitura dessa foi um pouco demorada, mas não menos prazerosa. Foi uma experiência com uma aprendizagem muito valiosa que eu prezo muito e vou levar para a minha vida. 

O livro ainda me fez me pensar em como nossa cabeça é somente voltada para nós mesmos, na maior parte do tempo. Nesse exato momento, enquanto eu estou escrevendo isso, muita coisa no Mundo está acontecendo, seja do outro lado dele ou na rua ao lado. Há pessoas recebendo más notícias, outras boas; há pessoas nascendo, outras morrendo; pessoas sendo pedidas em casamento e outras simplesmente se dando conta que não amam mais a quem resolveram assumir um compromisso tão único... e nós nunca pensamos no que está acontecendo , somente no que está acontecendo aqui.

Eu não me lembro o que eu estava fazendo em 2005, mas agora sei que no Rio de Janeiro uma verdadeira guerreira, junto com sua família, começava uma luta árdua contra uma das doenças mais temidas dos últimos anos. Eu nunca teria imaginado algo assim, da mesma forma como mal consigo imaginar alguém perdendo a vida nesse exato momento. São coisas que você só para pensar quando algo te estimula a isso, como esse livro me estimulou. 



Sobre a diagramação, eu não conhecia nenhum trabalho da editora Autografia, mas gostei desse. A capa é flexível e eu gostei do trabalho feito nela, embora o nome do autor fique bem apagado na arte em si. Por dentro, as letras estão no tamanho perfeito, as fotos que o livro possui estão bem alinhadas e bem impressas. Foi um trabalho muito simples, mas de boa qualidade.

PS: o autor me avisou que o nome dele, o qual teve pouco destaque na capa que eu recebi, foi um erro da gráfica, ou seja, na versão original, o erro está com o devido destaque!

Para quem quiser mais informações sobre o livro ou como adquiri-lo, segue o link: www.facebook.com/livrobiagrafia

Enfim, eu gostei bastante e super indico o livro.

Um beijo e até a próxima!

Resenha por: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo