quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Livro - Resenha #34 - O Teorema Katherine, John Green (INTRÍNSECA)


Nome original: An Abundance Of Katherines
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Página: 304
Ano: 2013
   

O Teorema Katherine conta a história de Colin, um garoto prodígio que, até hoje, só namorou garotas chamadas Katherine e em todos os relacionamentos, as garotas terminaram com ele. Ao todo foram dezenove, contando desde "namoros" infantis até os de sua adolescência. Colin tem uma dificuldade imensa em se socializar, e para ajudá-lo, temos o Hassan, o despreocupado e engraçado melhor amigo de Colin.

Além de estar triste por ter levado um pé na bunda da Katherine XIX, Colin também tem uma angustia em fazer algo excepcional. Ele sempre foi elogiado por sua inteligencia, no entanto, diferentemente de gênios precoces de outrora, Colin ainda não fez nada tão incrível e sente que seu tempo está acabando.



Ele e Hassan decidem cair na estrada e, enquanto viajam, Colin quer bolar uma teoria baseada em relacionamentos, determinando quanto durará antes que esse comece e ainda quem terminará a relação. Em meio a essa viagem sem rumo, os dois conhecem Lindsey, uma garota da cidade de Gutshot, no Tennessee.

O livro é narrado em terceira pessoa, e mesmo eu não sendo tão simpatizante com o João Verde e suas histórias, não posso negar que sua forma de narrar e envolver o leitor são incríveis. Mais uma vez ele construiu uma história suave e até intrigante. Diferentemente dos outros livros do autor, O Teorema Katherine não tem uma carga emocional tão intensa, dando lugar a uma trama mais diferente e engraçada.

Alguma vez você já se perguntou se as pessoas gostariam mais ou menos de você se pudessem vê-la por dentro? Sempre me pergunto isso. Se pudessem me ver do jeito que eu me vejo, se pudessem viver nos meus pensamentos, será que alguém, qualquer pessoa, me amaria?

Colin, na minha opinião, foi um personagem meio chato demais, um tanto quanto depressivo e me irritou bastante, além disso, ele não parece que tem a idade que foi dita no livro. A profundidade de seus pensamentos e sua inteligência me admiraram, mas não foi o bastante. Em contrapartida, AMEI Hassan, o amigo mega engraçado do protagonista. Sua personalidade contrasta com a de Colin, dando um equilíbrio legal para a leitura. Na minha opinião, ele 'roubou a cena'.

O fato de Colin ter namorado apenas Katherines em sua vida inteira foi um ponto que eu achei bem diferente e não foi algo que me agradou tanto, mas consegui lidar com isso até o final da leitura.

O livro é gostoso de ler, mas como eu citei acima, foi um pouco irritante para mim. Além disso, o livro é muito inteligente também. Li em algum lugar que Green pediu ajuda para um amigo matemático para fazer fórmulas de forma que os leitores entendessem e que se encaixassem na história, o que colaborou muito para que entendêssemos melhor a cabeça de Colin. O livro ainda possui algumas explicações (com um toque de humor) que você pode ler ou não.

Enfim, espero que tenham gostado da resenha!

Eu serei esquecido, mas as histórias ficarão. Então, nós todos somos importantes — talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada. 

Um beijo e até a próxima!

Resenha por: Lauren (part. Pietra)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo