quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Livro - Resenha 32 - Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos, Cassandra Clare (GALERA RECORD)


Nome original: City Of Fallen Angels
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 364
Ano: 2011
    

Cidade dos Anjos Caídos, o quarto livro da série Os Instrumentos Mortais, só foi lançado graças a editora a qual encomendou mais três livros para nossa Cassie, já que, inicialmente a trama iniciada em Cidade dos Ossos seria apenas uma trilogia.

Muitos ficaram com o pé atrás em relação a esse quarto volume (inclusive eu), mas nos primeiros capítulos já nos demos conta de que não. Mais uma vez, Cassandra fez um trabalho incrível, bem moldado e bem encaixado com os três volumes anteriores (eu gostaria de entrar na cabeça dessa mulher e tentar descobrir de onde vem tanta imaginação e ideias maravilhosas para escrever livros). Cassie conectou as histórias de uma forma que, se você não sabe sobre Os Instrumentos Mortais ser uma trilogia no começo, não vai notar diferença alguma.

Além do receio quanto a mudança de trilogia para série, eu estava com medo de ler Cidade dos Anjos Caídos por motivos de: tudo acabou tão bem no terceiro que eu não queria ver os personagens passando dificuldades novamente. Não estava preparada, mas a curiosidade e o amor pelos personagens (e pela autora) falaram mais alto e eu comecei a ler mais rápido do que previa.


Nesse quarto livro a autora focou bastante no nosso vampiro diuno, o Simon. Vemos sua evolução mais nitidamente, embora ele ainda seja muito atrapalhado (sobretudo em questões amorosas). Além de poder andar ao sol - e ser muio invejado por outros vampiros por isso - Simon agora possui a Marca de Caim, a qual serve de proteção para o vampiro, embora também seja uma maldição. Resumindo, qualquer pessoa que tente machucar/matar o Simon recebe uma punição sete vezes mais forte que a que cometeu. 

Além de tudo isso, Simon se vê entre Izzy e Maia. Ele está namorando com as duas (sim, é mesmo do Simon Lewis que eu estou falado) e se desdobra para que uma não saiba da outra, enquanto tenta juntar coragem para conversar com as duas e resolver a situação.

Jocelyn e Luke estão muito mais que unidos, mas a mãe de Clary não confia muito em Jace e acaba sendo uma chata durante o livro inteiro. Sério, preferia a Jocelyn quando ela ainda estava no seu sono interminável.


E em falar em Jace, depois de (finalmente) descobrirem que não são irmãos, ele e Clary estão vivendo seu momento de amor, mas é claro que as coisas não ficariam bem por muito tempo. Jace começa a ter sonhos horríveis e extremamente reais, onde ele mata Clary e teme que possa machucá-la de verdade. Mais uma vez ele começa a achar que sua criação com Valentim o afetou de tal forma que ele não consegue ser uma pessoa boa e normal. Além disso, mesmo possuindo alguns objetos deixados pelo verdadeiro pai, o único que consegue lembrar como figura paterna é Valentim e sente que, apesar de tudo, ele não o odiava por completo como todos à sua volta. 

Alec e Magnus - agora em relacionamento sério - estão viajando e se divertindo como um casal apaixonado e feliz, mas, como com Clary e Jace, as coisas não ficam tão perfeitas assim por muito tempo, já que , uma antiga namorada de Magnus, está de volta.


Cidade dos Anjos Caídos é marcado por ser um recomeço. Depois da morte de Valentim, surge como vilão Sebastian (ou Jonathan) que supera o primeiro vilão em todos os aspectos. Mais inteligente, mais ardiloso e muito, muito mais estragado pelo ego e pela maldade. 

Esse quarto livro ainda é menos 'movimentado' do que o terceiro, mas ainda possui sua carga de ação, como sempre. Foi o segundo livro da série que eu li mais rápido e um dos que mais gostei. Não preciso ressaltar nada sobre a narrativa da Cassandra, que em nenhum momento deixa de ser envolvente.

Enfim, a segunda parte, por assim dizer, da série Os Instrumentos Mortais se inicia aqui e promete muito mais lutas e mistérios pela frente! Super recomendo que leiam e se apaixonem, assim como eu!

Beijos e até a próxima!
Resenha por: Lauren


Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo