quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Livro - Resenha #30 - Belo Desastre, Jamie McGuire (VERUS)


Nome original: Beautiful Disaster
Autor: Jamie McGuire
Editora: Galera Record
Páginas: 389
Ano: 2011
     

Belo Desastre conta a história de amor entre Abby Abernathy e Travis Maddox, duas pessoas aparentemente bem diferentes. Abby é uma boa garota, em todos os sentidos. Não bebe, não fala palavrões e ainda é boa aluna. Já Travis 'Cachorro Louco' Maddox é bem diferente. Embora seja bom aluno em questão de notas, é um bad boy que ganha dinheiro com lutas clandestinas, enquanto todas as garotas da faculdade suspiram por ele e seu abdômen definido.

Tudo o que é Abby mais quer é evitá-lo, já que ele lembra tudo o que ela quis esquecer quando ela e sua melhor amiga se mudaram para a Eastern, faculdade onde todos estudam, mas antes que perceba está apaixonada por Travis, que não se encontra de jeito diferente. Enfim, o que não passava de uma aposta besta, transformou a vida dos dois de um jeito irreversível. Juntos, eles formam um casal conturbado e intenso. Um completo desastre (literalmente) cheio de paixão, desejo e problemas.

Bom, de certa forma, eu sempre me atraí por esse livro. Acho a capa interessante, não é feia e nem tão bonita, mas uma borboleta dentro de um pote me intrigou bastante, e a sinopse, embora dê a ideia de que o livro pode ser um tanto quanto machista, também me chamou atenção.

Nas primeiras cem ou cento e cinquenta páginas eu quis abandonar. Não me encontrei na leitura e, sim, senti um certo machismo em muitos trechos (são mais leves, mas existem, e em praticamente todo o livro). Além disso, o jeito como a Abby é apresentada e desenvolvida nesse começo é a pior imagem de uma personagem mulher que Jamie McGuire poderia fazer: completamente ingênua, burra e chatinha. 


Parece que ela tem algum problema cognitivo às vezes, porque todo mundo percebe que o Trav está apaixonado por ela, até pessoas com quem ele nunca falava, a faculdade toda percebeu a diferença nele e sabiam que era devido à Abby, além das várias vezes em que ele dá as indiretas mais diretas do Mundo, no entanto Abby aparentemente parece nunca perceber. 

Ela jura que eles são só amigos e que Travis acha isso tanto quanto ela (detalhe: quando qualquer garoto mexe com ela, de uma forma negativa, ele fica furioso e sangue sai de algum lugar. Ele nunca fez isso por ninguém, mas sim por ela, e ela ainda acha que ele não se importa tanto assim, como dizem. Ok, Abby, isso é realmente muito normal.). Quis jogar o livro pela janela!

A ideia de conhecer um garoto novo e fazer uma aposta desse porte numa boa também me deixou um pouco indignada, mas é algo que nós passamos a entender melhor no segundo livro, embora eu ainda não ache que exista uma explicação plausível para esse ato parecer tão "normal" quanto é retratado nesse começo.

Embora as primeiras páginas tenham me irritado, eu continuei a ler e fico feliz em dizer que depois as coisas melhoram um pouco. Há surpresas bem interessantes e nisso descobrimos que Abby não é tão otária quanto pensávamos. Na verdade, ela sabe muito bem o que faz. Foi uma descoberta muito legal, porque saber sobre o passado dela nos leva a ver melhor as coisas que ela faz naquele presente, e, ela não é nada (nadinha) burra. Ela, literalmente, não dá ponto sem nó e, com aquela carinha de santa (que eu imagino que tenha) ninguém desconfiaria que ela manja muito do "mundo errado".

Trav é um pouco descontrolado e impulsivo. Ok, talvez muito. Além de ciumento e um tanto possessivo também. Ele tem atitudes dominadoras em relação à Abby e me irritava o fato de, quase sempre, ela aceitar algumas de suas atitudes bruscas. Em meio a todos esses defeitos, ele é completamente apaixonado por Abby, a quem apelida carinhosamente de Beija-Flor e demonstra o lado doce que quase ninguém conhecia. E acreditem, quando um Maddox se apaixona, não é brincadeira.


Bom, muitas das coisas que Trav faz nesse livro me pareceram bem idiotas e completamente imaturas. Ele fica sem controle quando o assunto é a Abby e quer protegê-la de qualquer mal. Em várias dessas, ele acaba dando muitas mancadas com a garota. Nesses momentos, quando ela está chateada, irritada ou magoada (ou tudo junto), ele também se descontrola um pouco, de uma forma exagerada, e tudo o que ele deseja é o perdão de Abby. Chega a ser idiota, além de repetitivo.

Na verdade, ele faz isso porque acha que pode perdê-la e esse é o seu maior pesadelo. Ele não quer magoa-la, mas na maioria das vezes age sem pensar, fica perdido quando ela não está ao seu lado e quer, a todo custo, ter ela sempre. Aos poucos vamos percebendo sua dependência em relação à ela e o quanto é inseguro quando ela é o assunto.

Abby vai mostrando mais quem ela realmente é ao longo do livro, uma garota decidida e de atitude, embora também tenha esse sentimento de dependência em relação ao Travis. É algo mútuo. 

Isso nos leva a um romance envolvente, principalmente por conta das divergências de pensamento entre Abby e Trav. Os dois são atraídos por suas adversidades, que causam brigas e crises feias, mas reconciliações de tirar suspiros. Apesar dessas brigas, bem lá no fundo, os dois se respeitam, se amam e se compreendem. Eles realmente se encaixam como duas peças de quebra cabeça, se completam por inteiro.

O livro não é narrado por um personagem apenas, mas na maior parte do tempo lemos na perspectiva de Abby. A escrita de Jamie é envolvente e bem completa, mas os pontos negativos que eu coloquei acima me fizeram demorar para ler e quase querer desistir.

Belo Desastre tem uma pegada de fanfic muito forte que não foi perdida quando foi adaptada para livro. A trama e a narração da autora são bem parecidas com as fanfics que lemos (pelo menos, eu leio) em vários e vários sites por aí. Há cenas de sexo, mas não são tão detalhadas e fortes, embora também não sejam tão leves. 

Há várias cenas legais, outras picantes, outras mais tensas e acredito que a trama foi bem equilibrada diante de todos esses picos de emoções diferentes. McGuire fez um bom trabalho e eu gostei do jeito como ela leva suas histórias, embora não tenha gostado tanto dessa em específico.


A autora deu um jeito de deixar tudo bem... real, digamos. Todos, principalmente nós, adolescentes, sabemos que, em partes, a situação do relacionamento de Travis e Abby é real. Ter um relacionamento problemático, embora cheio de paixão, é uma realidade que, as vezes se conserta com o tempo e outras não, mas não podemos negar que é difícil e intenso. McGuire conseguiu trazer essa realidade para o livro. No momento em que vamos conhecendo os personagens tomamos nota e maior compreensão de suas atitudes impensadas, às vezes até nos identificamos, o que me fez querer tirar o chapéu para a autora. Seus personagens e suas personalidades, todas muito fortes e presentes, foram o ponto alto do livro e merecem palmas.

Por último, mas não menos importante, tenho que falar da America e do Shepley. America é a melhor amiga de Abby, enquanto Shepley, seu namorado, é primo de Travis. O casal tenta ajudar Abby e Travis da melhor forma que podem, embora os dois sejam bem difíceis de lidar. Eles formam um casal muito bonito e mesmo esses personagens, que não são principais, tiveram suas personalidades moldadas perfeição por McGuire.

O trabalho editorial ficou muito legal. Como disse no começo, a capa é bem intrigante e a diagramação do livro é ótima. A tradução foi boa, embora o verdadeiro apelido da Abby seja 'Borboleta', já que na língua original da autora Travis a chamava de 'Butterfly' e, por vezes, 'Fly'. Acredito que seja exatamente por isso que a capa possui uma borboleta em um pote, não um Beija-Flor.

Enfim, acho que esse é exatamente o tipo de livro que você deve comprar para ler. Lendo resenhas desse livro em especial você vai encontrar muitas divergências, pessoas que amaram e fizeram de Belo Desastre um de seus favoritos e pessoas que odiaram completamente o livro. Eu fiquei num meio termo quanto a esse primeiro. Sei que no segundo livro da série, intitulado Desastre Iminente, muitas coisas são esclarecidas, então eu espero que sejam o bastante para me fazer gostar mais.

OBS: O segundo livro é a mesma história, mas narrada por Travis. Com a sua perspectiva, conhecemos mais do seu passado e o porquê de muitas atitudes suas e outras coisas que acontecem em Belo Desastre. 

Enfim, é isso! Beijo e até a próxima!
Resenha por Lauren
Fotos por: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo