sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Filme - Resenha #18 - Maze Runner: Correr ou Morrer


Nome original: The Maze Runner
Duração: 125 min.
Ano: 2014
Gêneros: Ação, Ficção Cientifica
   


Bom, em primeiro lugar queremos deixar claro que não li o livro, então a resenha será baseada somente no filme.

Thomas é mandado, através de um elevador de carga, junto com suprimentos para um lugar onde só existe meninos. Todos, ao chegar a superfície têm perda de memória, e depois de algumas horas só conseguem se lembrar de seus nomes.


A Clareira, lugar aonde eles “vivem” é bem simples e aparentemente pequena. Como uma “fazenda” existem plantações, poços de água e muito trabalho. Todos os meninos, de diferentes idades, dormem em redes e amontoados uns nos outros.  Logo que o sol nasce o trabalho precisa começar, inclusive dos corredores, que são os meninos selecionados para tentar desvendar o grande mistério que existe atrás daqueles grandes paredões.

Assim que Thomas chega, se arrisca em fugir dos meninos, mas cai de cara no chão após tropeçar nos próprios pés. Virando motivo de piada, ele logo se “enturma” com alguns dos meninos. Depois de conhecer todas as tarefas e toda as regras, Thomas não perde tempo em dizer que quer ser um dos corredores.

Conformado com o não dos mais experientes, ele volta ao trabalho duro. Mas o que ele e nenhum dos meninos esperava, era que após um dos corredores ser gravemente ferido, Thomas iria entrar no labirinto para ajudar.

O que Thomas não sabia, era que ninguém saia vivo do labirinto após uma noite lá dentro.


Sabe aquele filme que você quase rói a mão de tanta agonia? Então, esse filme é Maze Runner!

A partir do momento em que vemos o garoto ferido do outro lado do portão até os segundos finais do filme é um turbo de emoções: agonia, desespero, esperança, dó e muitas outras... Tudo isso sem contar o fato do Dylan O’Brien (Thomas) ter interpretado um personagem forte, persistente, incomodado e nada acomodado (se eu já gostava dele antes, imagina agora!).

Não importa quantas vezes eu assista a esse filme, é como se fosse a primeira vez. E fico “perturbada” a semana inteira, pois o final é muito intrigante e instigante. Então eu recomendo esse filme para todos e também espero que sinta tudo que eu senti por que é muito bom!


Beijos e até a próxima viagem!

Resenha por: Bia

Um comentário:

  1. Oi Bia!
    Eu assisti o filme no cinema, e gostei bastante!
    E Aquele final? Surtante, instigante!

    Eu tb não li o livro, mas bem que queria, porque o filme foi maravilhoso, então imagino que o livro tb deve ser!
    Adorei sua resenha!

    Beijos!
    www.aculpaedosleitores.com

    ResponderExcluir

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo