terça-feira, 28 de julho de 2015

Livro - Resenha #27 - O Melhor de Mim, Nicholas Sparks (ARQUEIRO)

 
Foto de Por Uma Boa Leitura ♥

Nome original: The Best Of Me
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Páginas: 448
Ano: 2012
Nota:


Amanda Collier e Dawson Cole eram de mundo totalmente diferentes: Amanda era uma linda garota que vinha de uma família nobre, já Dawson vinha de uma família pobre e que a maior parte era envolvida com coisas ilegais (tráfico, roubo, assassinato, etc.), então o esperado era que ele também se tornasse um criminoso certo?! Apesar dessas diferenças, Amanda e Dawson se apaixonaram perdidamente, e mesmo com todo mundo contra o relacionamento, eles viveram um amor intenso.

Dawson era diferente da sua família, ele tinha o coração nobre e puro, e quando percebe que seu amor por Amanda pode prejudica-la ele decide que é melhor seguirem caminhos separados.

Afinal de contas, o amor diz mais sobre quem sente do que sobre a pessoa amada. Pg. 145

Após a morte de Tuck Hostetler (um mecânico que abrigou Dawson em sua casa por vários anos e se tornou seu amigo e de Amanda), 24 anos depois, os caminhos de Dawson e Amanda se cruzam novamente.

Mas agora tudo esta diferente. Dawson já passou por maus bocados nesses mais de 24 anos e agora vive sozinho, enquanto Amanda está casada e com 3 filhos, porém não tão feliz quanto gostaria. Eles só têm um final de semana juntos, mas esses 3 dias irão deixar marcas pro resto de suas vidas.

Para sempre. Era o ele havia entalhado na bancada de Tuck. Uma promessa adolescente, nada mais que isso, porém, de alguma forma, ele havia conseguido mantê-la viva. Pg. 147

Bom, começar um livro de Nicholas Sparks é pedir para esperar por lágrimas e trechos de amor intenso. Como todos sabemos, o autor tem essa característica intacta em todos os seus livros. Em O Melhor de Mim, Sparks não mudou sua fórmula mágica que prende tantas pessoas ao redor do Mundo. Bem pelo contrário, na verdade.


BIA: O que dizer sobre O Melhor de Mim? Muito trágico! O livro vai seguindo com pequenas tragédias, até que BUM no fim do livro vem a tragédia maior e devastadora para as choronas de plantão.

No final, o livro até que tomou um rumo que eu não esperava, o que foi bom porque eu fiquei irritada com ele na maior parte do tempo.

Dawson é lindo, maravilhoso, de coração calejado, puro e nobre, mas faltou um pouco de sal e pimenta. Já Amanda, bom, me irritou porque ela não sabe o que quer da vida.

Porque você não é só alguém que amei no passado. Você era minha melhor amiga, a melhor parte de quem eu sou, e não consigo me imaginar desistindo disso outra vez. Pg. 185

O enredo é muito envolvente (apesar dos pesares eu senti um pouco de pena do Dawson, mas não chorei nem por ele, nem por ela, nem por nada!), a escrita do autor também é boa, porém ainda assim eu não gostei do livro, mesmo ele sendo livro.

Mas eu recomendo esse livro pra quem gosta de drama, adora chorar, e coisinhas clichês.

LAUREN: Eu, sinceramente, gosto bastante da escrita do Nicholas. Acho que é por isso que eu teimo tanto em ler suas histórias, porque sua narrativa é maravilhosa e suas histórias sempre muito bonitas, apesar de terem sua carga de tragédia e lágrimas irreparáveis. O romance, que para mim às vezes é excessivo, é uma característica do autor, então eu acho errado eu falar que não gostei do livro todo só porque não gosto desse gênero em destaque nos livros que eu leio. Prefiro focar nos outros pontos, onde eu posso avaliar com mais clareza e imparcialidade. A começar pela Amanda, uma das nossas personagens principais de O Melhor de Mim.

Ela me irritou basicamente o livro todo por conta da sua indecisão. Entendemos que tudo o que está acontecendo não é 'qualquer coisa'. Dawson realmente marcou sua vida e a volta dele a abala bastante, mas na maior parte do tempo ela não sabe o que quer e se contradiz. Dawson, por outro lado, me encantou. Mesmo tendo tudo para ser o pior tipo de pessoa, ele é honesto, bom caráter e, acima de tudo, respeitoso, principalmente com ela. Ele é muito apaixonante e a maioria das coisas que ele falava para Amanda, referente ao passado deles e ao amor que ele ainda sentia por ela, me fizeram suspirar feito uma retardada. Sério, ele é lindo, em todos os sentidos.

Eu amei a forma como Sparks retratou Tuck, que, no livro, já faleceu. Mesmo assim, ele não deixa de fazer diferença na história em si e foi um personagem admiravelmente incrível, na minha opinião.

O final é de cortar o coração, ainda mais se você entende de primeira a relação do acontecimento com o nome do livro. Chorei rios de lágrimas e fiquei até em ressaca literária por dois dias depois desse final. Ainda vou ser internada por desidratação por causa dos livros do Sparks, anotem o que eu digo!

A diagramação do livro boa, embora eu prefira a segunda capa ao invés da primeira. Geralmente eu não gosto quando relançam o livro com a capa do filme, mas nas obras do Nicholas Sparks eu prefiro a segunda versão. A primeira nunca me agrada.

Ainda que tenha ficado longe da minha lista de livros favoritos do autor, liderada por A Última Música, eu gostei do livro e dos ensinamentos que ele passa durante a leitura.

Beijos e até a próxima viajem!


Resenha por: Bia e Lauren. (part. Pietra)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo