terça-feira, 16 de junho de 2015

Livro - Resenha #18 - A Última Música, Nicholas Sparks (NOVO CONCEITO)


Autora: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Gênero: Drama, Romance
Páginas: 400
Ano: 2009
Nota:



Nicholas Sparks já é bem conhecido pelo seu estilo de livro. Romântico, comovente, muitas vezes envolvente e cheio de lágrimas e superações. Mais uma vez, ele não fugiu de seus conceitos.

A Última Música conta a história de Ronnie, uma garota de 17 anos, rebelde e impulsiva que vive com sua mãe e seu irmão, Jonah, em Nova York. Ronnie costumava ser uma garota gentil e cheia de sonhos, principalmente na música, já que aprendera a tocar piano desde pequena com seu pai, o qual se separou de sua mãe sem muitas explicações para viver o sonho de ser pianista profissional. No entanto, o mesmo desiste da carreira e vai viver numa pequena cidade costeira, longe da agitação da cidade e perto da simplicidade. E é isso que desperta a rebeldia em Ronnie.

Ela decide largar seu sonho de ir para a Juilliard estudar música, jura que nunca mais vai tocar piano novamente, e cumpre o que diz. Ronnie também se recusa a falar com o pai, Steve, por um pouco mais de três anos e devido às suas confusões constantes, sua mãe decide que ela e Jonah devem passar as férias de verão na casa Steve.


Completamente contra a sua vontade, Ronnie vai e acaba conhecendo muitas más companhias e Will, o garoto dos sonhos de qualquer garota normal, lindo, popular e rico. Ela o odeia logo de cara, mesmo sem conhecê-lo de verdade.

Apesar de ser um romance, percebemos que o livro foca ainda mais no relacionamento entre pai e filhos. Steve tenta, o tempo todo, se aproximar de Ronnie e resgatar pelo menos um pouco do relacionamento maravilhoso e carinhoso que tinham a tempos, mas a garota é teimosa e ainda tem mágoas por seu pai tê-la abandonado, sem mais nem menos.

Ao longo do livro nos identificamos muito com Ronnie. Aos poucos a casca grossa dela vai se desmantelando, e ela volta a ser a garota mais tranquila que era antes, se entregando ao amor e aos apelos do pai. Mas então nos lembramos que estamos lendo um livro do Nicholas Sparks e que, obviamente, algo triste deve acontecer, ou melhor, alguém tem que morrer.

Bem quando Steve estava reconquistando sua filha, descobrimos um segredo que ele escondia de todos, e tudo ao redor se abala. Ele não queria que soubessem porque desejava passar um último verão com os filhos antes que fosse tarde demais e é também nesse momento que adivinhamos um dos porquês até então esquecidos do livro: porque ele desistiu de sua carreira, sendo que amava o que fazia e era um dos melhores? Porque sua saúde não aguentaria por muito mais tempo.


As cenas a partir daí são sempre comoventes e muitas vezes dignas de lágrimas.

Ao mesmo tempo que descobre o problema de seu pai e sofre com isso, Ronnie ainda tem que aguentar o fato de o grande amor da sua vida estar indo para a faculdade, a qual foi escolhida por seus pais e é extremamente longe de onde Ronnie mora, o que significa que o amor de verão deles acabou para sempre.

A cena que dá nome ao livro é devastadora e eu confesso que chorei muito! Mais do que chorei em qualquer outro livro de Sparks. (Vocês entenderão quando lerem.)

Por fim, felizmente, o final do livro não é ruim ou triste para o nosso casal. Ronnie e Will ficam juntos, mas eu sugiro que leiam como isso aconteceu. Foi lindo e eu quis entrar no livro e dar um abraço em Will por ser tão príncipe.


Sobre a ritmo da leitura, devo dizer que foi um dos livros de Sparks que mais me envolveu. Ele é um tanto quanto grande, mas terminei em cerca de quatro dias. Nicholas é muito preciso na hora de explicar as situações e sua narrativa é ótima, como já devem saber. Ele mandou muito bem e, na minha opinião, A Última Música está entre os melhores já publicados do autor.

Enfim, apesar de não ser grande fã de Nicholas Sparks, posso garantir que esse livro é perfeito!

OBS: O filme do livro, interpretado por Miley Cyrus e Liam Hemsworth é bem fiel ao livro, mas diferentemente do mesmo, não me fez chorar tanto. As duas cenas finais, a que dá sentido ao nome e a que Will volta para Ronnie, são mais tocantes e completas no livro. De qualquer forma, recomendo, tanto o livro, quanto o filme!

E é isso galera! Beijos e até a próxima viagem!

Resenha por: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo