domingo, 17 de maio de 2015

Série - Resenha #04 - Don't Trust The B In Apartment 23 (1°TEMP)


Duração de cada episódio: 20-22
Gênero: Comédia
Emissora: ABC
N° de episódios: 11
Temporadas: 2
Ano: 2012-2013
Nota:


Quem aí curte uma série de comédia? Tá na hora de conhecerem Don’t Trust The B In Apartment 23!

DTTBIA23 conta a história de June, uma garota do Arizona que vem para Nova Iorque afim de começar sua vida. A garota tem que arranjar um lugar para ficar e um emprego, enquanto Steven, seu noivo, não vem para a grande cidade para que eles comprem um apartamento e se casem. Ela procura em todo canto, mas nenhum dos lugares que acha pode pagar para morar, até que encontra um anúncio onde a moradora procura alguém para ser colega de apartamento e dividir as despesas.


Essa colega se chama Chloe. Chloe é festeira, imoral, completamente instável e odiada pelos vizinhos do prédio, enquanto June é uma garota simpática, ingênua e boazinha. Parece a pessoa perfeita que Chloe estava esperando para dar mais um de seus golpes onde ela faz seu colega de apartamento surtar e querer ir embora, enquanto a morena se diverte roubando suas coisas e vendendo, agindo irresponsavelmente, entre outras diversas brincadeiras maldosas. Mas não é assim que as coisas acontecem com June.

A jovem June tinha sua vida planejada: arrumar um emprego, comprar um apartamento com Steven e casar com ele, ter filhos e ser feliz em Nova Iorque, mas tudo cai por terra quando ela acaba descobrindo que Steven a traía com a enfermeira no hospital em que trabalhava (e, de um jeito bom, com a sua mais nova colega de apartamento, também). Depois disso, June e Chloe acabam virando amigas, mesmo que Chloe não seja lá um exemplo de amizade.


June arranja um emprego numa cafeteria e agora vive com Chloe, sua amiga imoral e maluca que tem como melhor amigo a super celebridade James Van Der Beek, um vizinho que as observa 24 horas como se isso fosse normal e uma garota obcecada por Chloe que mora no mesmo andar das duas.


Bom, a série é muito bem humorada e logo de cara eu já me apaixonei pela Chloe. Apesar de negar, ela gosta muito de June e as duas se importam uma com a outra, mesmo quando Chloe é completamente irresponsável e faz algo muito estúpido. Chloe ama festas, ama bebidas e ama caras errados, embora nunca se lembre o nome de nenhum deles. Ela é persuasiva, divertida e um tanto quanto “foda-se o mundo, eu preciso de mais Martinis”.

Já June é a típica garota do interior que está aprendendo a viver na cidade grande. Ela não entende como as pessoas que vivem em Nova Iorque estão sempre com pressa e não dizem “bom dia”, ou sequer realmente prestam atenção uma nas outras, mas tenta conviver com isso de bom humor, mesmo depois do término com Steven, seu noivo infiel.


A diferença entre as duas é o que causa os conflitos cômicos da série e eu achei o humor bem montado, apesar de clichê. Os capítulos são rápidos e você nunca enjoa. Quando vê já acabou a temporada inteira. Aliás, eu fiquei bem chateada quando soube que haviam cancelado a série depois da segunda temporada. Não é como se fosse uma série essencial para ABC, mas era muito boa e muita gente ficou chateado com o cancelamento.


Assim como em Friends ou The Big Bang Theory, The B in Apartment 23 não precisa ser acompanhado capítulo por capítulo para que você entenda alguma coisa. Cada um é independente, onde temos um conflito inicial e a resolução dele no fim do mesmo e logo depois temos outro capítulo com um conflito inicial que mais uma vez é solucionado ao fim desse próximo. Mesmo assim, para ter uma perspectiva melhor da vida dos personagens e até mesmo o amadurecimento deles, de certa forma, é legal assistir na ordem.

Eu, na verdade, senti que a série tem um estilo meio descompromissado, no estilo de quando você quer ver algo um pouco mais bem humorado ou quando quer relaxar na frente da TV.


Há alguns envolvimentos românticos na primeira temporada, todos com June, se você não considerar os diversos caras que Chloe sai ao longo dos 11 primeiros episódios. Não que os de June durem muito também, mas são mais "sérios". Mesmo assim o romance não é algo muito presente, pelo menos não na primeira temporada.


As duas garotas, junto com James, vivem várias aventuras épicas e muito engraçadas. Não é algo que te faça dar gargalhadas, mas é gostoso de ver, tanto sozinho quanto com os amigos, mas atenção para a classificação indicativa!

Eu gostei da série e recomendo, de verdade! Eu adoro séries nesse estilo e acho que vocês podem se identificar também, se compartilharem desse gosto.

Beijos e até a próxima, galera!

RECOMENDAMOS À:
Todos que gostam de uma série mais bem humorada e descompromissada.


QUERO ASSISTIR! ONDE POSSO ENCONTRAR?
Atualmente, o NETFLIX dispõe as duas e únicas temporadas em HD. Você pode encontrar a série em outros sites pesquisando no Google também. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo