terça-feira, 19 de maio de 2015

Livro - Resenha #11 - A Menina Que Fazia Nevar, Grace McCleen (PARALELA)


Autora: Grace McCleen
Editora: Paralela
Páginas: 312
Ano: 2013
Nota:



Judith McPherson é uma garota de dez anos que vive com o Pai, com o qual tem uma relação seca e sem intimidade. A garota acabou perdendo sua mãe durante o trabalho de parto, portanto nunca a conheceu. Apesar desse fato, Judith sonha em um dia conhecer a mãe num lugar novo, na verdadeira cidade que ela imitou em uma maquete.

Essa maquete feita de sucata, a qual Judith chama de Terra Gloriosa, fica em seu quarto, escondida. Lá as pessoas são feitas de limpador de cachimbo e outros materiais considerados lixo. E é nessa terra que ela acredita que vai viver com a Mãe e com o Pai depois do Armagedom (ou Apocalipse), evento do qual ela está ansiosa para que chegue logo.


Na escola, Judith não tem amigos, apenas um garoto chamado Neil, o qual a atormenta e pratica bullying com ela (embora não seja esse o assunto abordado no livro), e como não tem amigos e em casa seu pai não conversa com ela, Judith conta todas as coisas para Deus, que por incrível que pareça, a responde.

Todas as tardes, quando chegava da escola, Judith corria para brincar em sua maquete, mas o que a garotinha não esperava era que o pastor estivesse certo, que se ela tivesse fé as coisas iriam começar a dar certo. Naquela tarde, ela fez nevar na Terra Gloriosa, e no dia seguinte, a cidade amanheceu coberta de neve...

A Menina Que Fazia Nevar é um livro emocionante, que proporciona uma experiência incrível. A autora conseguiu, de uma forma maravilhosa, fazer com que consigamos enxergar todas as situações do livro pelos olhos de Judith. Você sente a inocência e a força da vontade de uma garota de apenas dez anos e percebe que é maior que a de muitos adultos por aí, tanto no livro quanto na "vida real". É magico!


No decorrer da leitura, dá para perceber como a personagem é madura, enxerga o mundo de uma maneira diferente e tem seu próprio mundo completo, mesmo tendo apenas dez anos. E essa maturidade é provada em sua relação com o pai e em como ela se sente e age sobre isso. (É lindo ver o desenrolar da sua relação com o pai e como ela se preocupa com ele, mesmo achando que ele não gosta dela.)

Judith tenta lidar com seus problemas sozinha e as coisas acabam saindo do controle. Você vê o desejo dela de usar o seu poder para castigar Neil, para melhorar as coisas, e até mesmo a sua vontade de contar pra alguém o que ela faz e que ela é um Instrumento de Deus, mas ela não pode. E fica cada vez mais difícil para a pequena garotinha aguentar tudo isso sozinha, mas ela é uma perfeita guerreira e vai até o fim.

Apesar de ser um livro religioso (e os personagens, aparentemente, serem Testemunhas de Jeová), o enredo não impõe nenhuma crença e eu acho isso muito importante em livros religiosos. A Menina Que Fazia Nevar trata da fé e da crença em Deus de um jeito imparcial a todas as religiões.



Nunca tinha lido um livro dessa autora antes e posso dizer que me apaixonei pela narrativa dela,pelo seu carisma, pela forma como ela detalha as situações e, principalmente, os sentimentos. É algo muito real, me emocionou e me arrepiou milhares de vezes. Foi incrível!

Grace McCleen conseguiu me prender do início ao fim. A história não fica chata muito menos tediosa, você quer devorar cada pedacinho do livro! Além disso tudo, a capa é linda e combina totalmente com o enredo. Os desenhos, os retalhos e tudo mais só fazem você perceber o quão inocente e madura Judith consegue ser.

O livro é lindo, de verdade. Eu tive um sentimento incrível ao ler esse livro. Com certeza mudou minha forma de ver as coisas, de pensar nas coisas.

Eu recomendo esse livro à todas as pessoas da face da Terra.

RECOMENDAMOS À:
Eu recomendo para todo mundo, de todas as idades, de todos os gêneros e todas as pessoas que são capazes de enxergar a humildade igual a Judith.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo