terça-feira, 12 de maio de 2015

Livro - Resenha #10 - A Culpa É das Estrelas, John Green (INTRÍNSECA)


Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 288
Ano: 2012
Nota:



Quem não conhece John Green ou, ainda, a obra que nos fez conhecer esse maravilhoso autor, que vá para uma livraria agora!

A Culpa É das Estrelas pode ser citado como um marco, pois muita gente que não se interessava por leitura, começou a ler a partir dessa obra. Não demorou muito para que a história começasse a ser falada em todos os cantos e, (in)felizmente virar modinha entre os jovens e até adultos por aí.

Digo infelizmente porque é uma chatice ouvir aquelas pessoas que nunca leram nem os livros paradidáticos que nos mandam ler na escola falar de livros como exímios leitores simplesmente por terem lido ACEDE (ou as vezes nem leram de verdade), e felizmente porque nos permitiu conhecer esse autor e deu o merecido reconhecimento a ele.


Bom, como todos sabem, A Culpa É Das Estrelas conta a história de Hazel Grace e Augustus Waters (Gus). Hazel Grace é uma adolescente de 16 anos que convive, desde os 13 anos, com um câncer de tireoide. A pedido da mãe, Hazel frequenta um grupo de apoio a adolescentes com câncer, mas prefere ficar na sua ao invés de se socializar com os colegas do grupo. Na sua concepção, tendo um “prazo de vida”, ela não vê motivos para fazer novas amizades, pois quer diminuir ao máximo o número de pessoas que possam sofrer quando a doença chegar ao seu estágio final. Apesar de possuir câncer, Hazel não se faz de vitima e tanta manter o bom humor, preferindo a companhia de livros, filmes e da família.

Tudo muda quando ela conhece Augustus Waters, um garoto de 17 anos, ex-jogador de basquete que teve uma das pernas amputadas por causa do osteosarcoma. Gus, como é seu apelido, acredita acima de tudo na vida. Bem humorado, ele não deixa que ninguém o julgue ou sinta pena dele pelo que aconteceu, sempre apoia seus amigos e está sempre disposto a melhorar o dia dos outros com seu jeito brincalhão.


Os dois se apaixonam e tentam tirar o máximo de proveito dos dias que tem um com o outro, já que são escassos e descobrem as melhores coisas de ser um adolescente apaixonado juntos. O amor, a lealdade, o sexo, a confiança.

Podemos começar falando da ótima narração do John Green. Ele realmente te coloca na história, te faz viver o que está acontecendo nela. Ele descreve muito bem as coisas, os lugares, seus personagens e principalmente seus sentimentos. Dá para se emocionar só com o modo como a narradora, Hazel, vê as coisas e a vida ao seu redor e isso é simplesmente maravilhoso, além de ser uma leitura super fácil e leve.


Quanto a história em si, devo dizer que, para mim, foi simples e não tão encantador e inteligente como vários que leram pregaram. Eu havia lido o livro antes de ser realmente lançado e fazer o devido sucesso. Mais ou menos uns quatro meses antes, acabei achando num site e baixei por pura curiosidade. Me lembro de achar estranhamente familiar quando várias pessoas vinham me falar sobre A Culpa É das Estrelas, mas não associei nada ao livro baixado antes de, realmente, pegar a versão física em mãos e começar a ler. Claro que eu notei rápido que eu já havia lido e, sinceramente, não entendi o auê todo que fizeram pelo livro.


É uma história linda e realmente emocionante. O modo como Green retrata essa doença tão devastadora, o modo como ele desenvolve os seus personagens, as relações entre eles e, principalmente, o romance central é, com certeza, digna de aplausos, mas a história em si não é tão surpreendente assim, exceto pelo final.

Como sou uma bela de uma manteiga derretida, eu chorei, sim, lendo ACEDE (e vendo o filme também), mas não acho que o livro seja "o melhor de John Green", como muitos dizem, muito menos que seja tão encantador assim. É um livro sobre romance, reflexão e problemas, te faz pensar, rever coisas, chorar e rir. Mas é algo que você já sabe como vai se desenrolar, uma leitura simples.


Enfim, talvez você goste e ache completamente maravilhosa essa história, chore horrores e realmente sinta o que muitos disseram que sentiram (ou até sentiram mesmo). Não descarto o livro de jeito nenhum, e espero que quem leia, se emocione com a Hazel e o Gus <3

Beijos e até a próxima, Okay? Okay!

RECOMENDAMOS À:
Aos fãs de histórias emocionantes como as de Nicholas Sparks e queira algo mais leve. À quem leu e gostou de Seis Coisas Impossíveis, Amy & Matthew, Eleanor & Park, O Lado Bom da Vida, O Projeto Rosie, e etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo