terça-feira, 7 de abril de 2015

Livro - Resenha #05 - Seis Coisas Impossíveis, Fiona Wood (NOVO CONCEITO)

Autora: Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 269
Ano: 2013

Nota:

"Um choque de realidade de cada vez, por favor!"




"Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... 

E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe super triste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito.
Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota; 2. Arrumar um emprego; 3. Dar uma animada na mãe; 4. Tentar não ser um nerd completo; 5. Falar com o pai quando ele liga; 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí.

Mas impossível mesmo será: 1. Não torcer para que Dan supere seus problemas; 2. Não rir muito com os devaneios dele; 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard; 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade; 5. Parar de ler este livro; 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado."


 Com muito bom humor e ironia, o livro conta a história de um menino que sofreu todos os dramas adolescentes de uma única vez, mas fez o que pôde para não se abalar tanto com isso. 

Depois que tudo parece desabar na vida de Dan e as lembranças do que um dia foi uma família feliz caem por terra, o garoto, completamente magoado, não quer falar com o pai, o qual se assumiu gay e largou a mãe do garoto justo quando a família estava com sérios problemas financeiros. Você logo percebe que não tem nada a ver com o homossexualismo do pai, mas sim porque Dan não consegue admitir que seu pai abandonou ele e sua mãe naquela situação. 

Depois de toda a surpresa e da mudança para a casa nova, que de nova não tinha nada, sua mãe, sem emprego e infeliz, começa seu próprio negócio fazendo bolos e Dan, percebendo que ela não leva muito jeito, tenta ajudar, mas isso só acaba trazendo ainda mais problemas. 

Tentando superar isso da melhor forma possível, Dan aproveita a situação para criar sua nova identidade, cuidar do cãozinho que veio junto com a casa e acabou se tornando seu melhor amigo e fazer sua vizinha se apaixonar por ele. 



O adolescente não quer ser como seu pai, que abandonou a família. Ele quer ser um novo garoto, quer poder ajudar as pessoas que ele gosta, quer ser amado como todo adolescente de quatorze anos quer, deixar de ser o nerd esquisito da escola que nunca beijou uma garota, fazer Estelle se apaixonar por ele, e, de fato ele luta por isso. Luta para ser um novo Dan, tentando colocar bom humor na sua vida e seguir em frente, e essa é uma das partes mais tocantes e legais do livro. Quase nunca ele é chorão ou diz que "sua vida acabou" ou coisas do tipo. Nós, adolescentes, temos essa mania de achar que, só porque a vida não está indo as mil maravilhas está tudo acabado, que não há mais chances ou esperanças de um final feliz, mas não é assim e Dan nos prova que podemos contornar todas as coisas ruins com bom humor, confiança e força de vontade.
"(...) Pelos no rosto, nariz inchado, olho roxo, roupas que não me servem direito – esse lance de me tornar um cara descolado está dando supercerto!"
Outra coisa legal do livro, que só percebemos no final, é que todos os problemas dele acabaram sem ele se dar conta, e o único que restou, na verdade, já estava solucionado. Isso é algo que parece muito óbvio no final, mas você fica tão vidrado na vida dele, e em como ele age sobre certas coisas, que não percebe também.

O livro é bastante diferente, porque sai da coisa sobrenatural e ao mesmo tempo deixa um certo mistério, além de ser muito engraçado. Não tem um romance forte, mas vai fazer você criar teorias e soluções nunca pensadas antes. É, literalmente, um daqueles livros com uma história simples, a qual poderia acontecer com qualquer um, mas que faz você se ligar e pensar nas coisas, na sua vida, em como tudo pode mudar de repente e em como temos o poder para contornar tudo e ser feliz.

“Às vezes os seus maiores problemas te levam para apenas um lugar: a felicidade. “
Resenha por: Pietra Petinati (part. Lauren Y)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo