quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Livro - Resenha #03 - Fallen, Lauren Kate (GALERA RECORD)


Autor(a): Lauren Kate
Editora: Galera Record
Páginas: 401 
Nota:


"Sexy, sublime e assustador..." P.C. Cast

Olá, leitores! Como viram no título, hoje a resenha é sobre o primeiro livro da série Fallen, da autora Lauren Kate (minha xará, olha que fodinha)!

Antes de começar bem começado queria lembrar que essa é a nossa opinião. Em nenhum momento quisemos falar "mal" do livro ou dá série, simplesmente resenhei o que eu li.

Se você ainda não conhece a série Fallen, como sempre, vou dar uma geral rápida: A história gira em torno de Lucinda (Luce) uma garota que vê sombras estranhas desde pequena. Um dia, ela presencia um incêndio que começa do nada e que acaba matando um colega de escola. 

Luce é considerada culpada pelo tal incêndio e, assim, vai parar na Sword & Cross, um reformatório para adolescentes problemáticos. Lá ela conhece uma série de pessoas muito diferente das que estava acostumada: Ariane, uma garota que fala o que dá na telha, decidida e meio maluca; Penn, a adorável filha do zelador, que junto com Ariane, se torna uma amiga inseparável; Cam, um loiro charmoso que desde o começo mostra seu interesse por Luce; e Daniel, o misterioso, lindo e rude por quem ela tem uma atração completamente inexplicável, quase uma obsessão.

Por causa de um trabalho escolar, Luce começa a tentar descobrir algo sobre Daniel e porque ele é tão, com o perdão da palavra, filho da p... com ela. Luce acaba descobrindo que os mistérios do garoto são bem mais complexos do que imaginava e que, estranhamente, eles tem a ver com ela, finalmente explicando a ela mesma o porquê de toda essa atração forte pelo garoto.



Bom, antes de partir para o "papo reto", eu vou ter que falar dessa capa. É simplesmente linda! Eu sei, eu sei! Não devemos julgar um livro por isso, maaas, eu gostei muito, de verdade. Eu não sei se existe uma edição com a textura diferente, mas a minha, pelo menos, parece uma borrachinha, algo assim, é gostoso de ficar passando a mão. Por último, mas não menos importante, minha parte favorita dessa capa: LETRAS EM RELEVO! Sou apaixonada por isso nos livros...

Mas agora, deixando a capa de lado, vamos ao que interessa.

Dizer que eu fiquei apaixonada, encantada, maravilhada e etc. com o livro é uma grande mentira. Na verdade, eu esperava bem mais do primeiro livro da série. Como eu já disse no último post de resenha (aqui), os livros de universo alternativo (vampiros, lobos, anjos, bruxas, feitiços, magia e blá blá) são meus favoritos. Eu gosto muito de livros que saem do nosso comum e achei que ia me apaixonar por esse, mas não foi bem o que aconteceu por dois motivos principais.



Em primeiro, a Luce é meio... imatura. Tudo bem, na situação dela eu não ia ser uma heroína fodona e destemida, além do mais, vamos combinar que, na maioria dos livros o personagem principal é meio bobão. Mesmo assim, Lucinda Price ultrapassa os limites. 

De qualquer forma, se você se colocar no lugar dela, dá pra entender; ela é uma garota sozinha que cresceu assombrada por sombras que ela não tem ideia da onde vem e o porque de somente ela poder enxergá-las, foi acusada de um assassinato contra um colega que ela gostava muito e, embora sua mente recapitule o acontecimento do incêndio e ela tenha certeza de que não é culpada, tudo ao seu redor diz que ela é, e nisso tudo Luce acaba dando uma enlouquecida básica. 

Concluindo, podemos dar uma trégua para ela no aspecto insegurança e medo. O que mais me irritou nela nem foi isso, mas sim que ela simplesmente chora e sofre o tempo todo. Eu juro que tentei entender o momento difícil que ela estava passando, a pressão e tudo mais, mas sinceramente, não rolou. (Deus permita que no filme ela não seja assim, amém.)


"Ela desviou os olhos, para a água azul-escura parada onde, há apenas alguns minutos, estavam rindo e nadando. O lago não mostrava mais nenhum sinal daquela alegria. Tampouco o rosto de Daniel."
Em segundo, a Lauren deu uma importância imensa e meio desnecessária para o romance do casalzinho principal. Ok, é um livro de romance, mas vamos com calma. 

Com o perdão da expressão, mas CARAMBA, nesse livro entramos em um universo muito interessante com anjos e demônios, lutas, tensão e etc., no entanto o mesmo é inteiramente focado em Luce e Daniel e seu romance proibido. Eu até entendo que os dois são, ou melhor, a Luce é, uma parte importante no porque das batalhas e que precisam proteger ela para não 'ferrar com o rolê todo', mas é muito estresse em cima disso. 

É muito raro uma cena em que a Luce pensa sobre tudo o que está acontecendo, sobre a batalha, sobre ela estar rodeada de anjos poderosos e tudo mais. Ela meio que não se importa muito com isso, tudo o que quer é estar ao lado de seu amado Daniel Grigori e isso tira a paciência de qualquer leitor. 


"Daniel ficou parado na frente dela, vestido apenas com uma calça de linho branco. Ele sorriu para ela, então fechou os olhos e abriu os braços para os lados. Depois, delicada e muito lentamente, como se para não chocá-la, ele expirou profundamente e suas asas começaram a se desenrolar."
Eu acho que minha querida xará Lauren poderia ter explorado mais o universo celestial dos anjos, investido mais em contar como eles são, suas histórias, seus poderes e essas coisas fantásticas que não lemos em qualquer lugar. Eu senti falta de batalhas eletrizantes entre anjos e demônios, aquela tensão e agonia que você tem quando lê cenas de luta e tal. Tudo foi direcionado à Luce e ao Daniel de modo que a leitura fica um tanto chata, não só no primeiro, mas nos outros livros da série. 

De qualquer forma, o livro não tem apenas partes negativas. O modo de escrita da Lauren é maravilhoso, me apaixonei pela forma como ela explica os sentimentos, as dores, e até mesmo os acontecimentos em si. Tudo perfeitamente detalhado e em sintonia, como se você estivesse lá, como se fosse um dos personagens vivendo a história, mas não fosse citado. 


Eu li por aí que uma galera achou extremante ridículo a 'explicação' do porque a Luce corre atrás do Daniel, mesmo ele tratando ela mal e empurrando-a para longe dele. Essa explicação seria que ele queria protegê-la, afinal, na história, quando eles se beijam, ela morre. 

Sinceramente eu não achei ruim, aliás, achei muito criativo da parte da Lauren colocar o Daniel fazendo esse tipo de coisa - como mostrar o dedo do meio na primeira vez em que eles cruzam os olhares - ao invés de simplesmente viver fugindo e falando para ela ficar longe dele. Que jeito melhor de proteger uma pessoa, que não sabe da verdade sobre você ser um anjo e esse fato poder matá-la, do que tomar atitudes que façam ela, teoricamente, te odiar e te achar um babaca? Não rolou com a Luce, mas foi uma ótima ideia do nosso Daniel.



Antes de acabar a resenha, queria re-lembrar que em nenhum momento eu quis ofender à série ou a escritora. Gosto muito da Lauren, essa é apenas a minha opinião de leitora quanto a série Fallen. Se ficar com raiva, lembre do nosso lema: Te faz bem? LEIA! Independente da nota da resenha!


EM QUANTO TEMPO LEU?
Eu acabei atrasando um pouco a leitura desse livro, mas foi em basicamente, duas semanas. Com certeza dá pra ler em menos tempo.


RECOMENDAMOS À:
Recomendo aos leitores de séries como "Hush, Hush", "Beijada Por Um Anjo" e "Halo", já que Fallen também pertence a esse universo celestial, digamos assim. Quem curte um romance puxado vai gostar também. 

Resenha por: Lauren

Nenhum comentário:

Postar um comentário

« »
© Razões Literárias - 2015. Todos os direitos reservados. Criado por: Lauren Yorres. Tecnologia do Blogger. imagem-logo